A+ A- Alto Contraste Libras
Faça sua busca pelo site
Notícias
13 de novembro de 2017 as 09:08 / Geral

Focos de larvas do Mosquito da Dengue são encontrados em Estação

A Secretaria de Saúde de Estação alerta a toda comunidade que neste último trabalho de levantamento de índices (LIRAa) realizado nas últimas semanas, foram encontras quantidade muito elevadas de larvas de mosquito em todos os bairros da cidade. As Agentes de Endemias e Agentes de Saúde estão realizando trabalhos de campo para eliminação destes focos, porém não será possível evitar uma epidemia, se cada cidadão da comunidade não fizer a sua parte.

Com bastante frequência são encontradas casas trancadas onde não é possível nossas Agentes acessarem os pátios para realizar este cuidado, propiciando assim risco de áreas descobertas de cuidado.

Lembramos que cada proprietário é o responsável pelo cuidado de manutenção de limpeza de sua propriedade e pátio (incluindo os terrenos baldios), podendo assim responder até mesmo judicialmente se expuserem a comunidade à riscos referentes ao encontro de criatórios de mosquitos na propriedade.

Convocamos cada cidadão a tomar a iniciativa de manter a comunidade em segurança, juntando os materiais que possam servir de criadouros de larvas e que estão em locais de convivência comum, cuidando de suas casas, pátios e arredores; auxiliando pessoas da comunidade que possam ter dificuldade de fazer este cuidado e comunicando às autoridades sanitárias locais (Agentes de Endemias) quando da existência de locais que ofereçam risco à comunidade.

Lembramos que todos os anos recebemos pessoas que chegam doentes de Dengue e que poderão vir também com Zica, Chikungunya e Febre Amarela, vindos de outras regiões do país onde estas doenças são endêmicas, e tem se tornado cada vez mais complicado manter ações de isolamento e contenção destas doenças.

Não chegamos ao verão ainda, e se não forem tomadas atitudes efetivas de combate à proliferação destes insetos, nosso verão poderá estar seriamente comprometido.

Comunicamos às famílias de crianças pequenas, idosos e gestantes que a partir deste ano providenciem medidas de proteção adicional para suas famílias,como: colocação de telas nas janelas, instalação de mosquiteiros, orientação para uso de roupas claras e compridas, que cubram braços e pernas, assim como o uso de repelentes, evitando possível picada de mosquito.

Estas ações passam a ser necessárias em virtude de pessoas de nossa comunidade não estarem percebendo o real risco que a comunidade vem enfrentando e que por seu DESLEIXO vem favorecendo à proliferação e disseminação dos focos de larvas. Em anos anteriores conseguíamos manter os focos contidos e controlados em algumas áreas específicas da cidade; e que verificamos agora, com a última LIRAa, que existem criatórios de larvas em todos os bairros. Estamos aguardando a tipificação destas larvas, porém sabemos que se existe condições de criatório de mosquito comum, o Aedes Aegypti se cria nas mesmas condições.

Pedimos colaboração da comunidade em aceitar e seguir as orientações dos Agentes de Combate à Endemias e Agentes de Saúde.

 

Revisar em sua propriedade, por exemplo:

  • se os vasos de flores têm areia em seus pratinhos,
  • se vasilhames, piscinas, lonas de cobertura de piscinas, lixo ou pneus em seus pátios que possam reter água da chuva, e se existir, eliminá-los;
  • limpar semanalmente os coletores de água das geladeiras,
  • verificar as calhas da casa, principalmente depois de temporais;
  • verificar as caixas d’água e/ou reservatórios se estão com suas tampas bem fechadas, e colocar tela fina no respiro destas caixas;
  • verificar as lonas que cobrem as pilhas de lenha ou de outros materiais não possuem locais de acúmulo de água;
  • furar o fundo dos vasos ao levar flores no cemitério para que não acumule água;
  • enfim, devemos eliminar todo e qualquer lugar que possa oferecer abrigo aos mosquitos.
  • verificar e limpar semanalmente ralos das pias e do chuveiro, vasos sanitários, mesmo das peças que não estejam sendo usadas.

 

Estas medidas são necessárias para manter a proteção e segurança de nossa da comunidade.

 

Lembramos ainda que no código penal há previsão de punição dos crimes contra Saúde Pública:

Epidemia

Art. 267- Causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos:

Pena – reclusão, de 10 (dez) a 15 (quinze) anos.

  • 1º – Se do fato resulta morte, a pena é aplicada em dobro.
  • 2º – No caso de culpa, a pena é de detenção, de 1 (um) a 2 (dois) anos, ou, se resulta morte, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos.

 

Infração de medida sanitária preventiva:

Art. 268. Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença:

Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, e multa.

 

 

Lembre-se que cuidando da sua casa você estará protegendo você, sua família, seus amigos, vizinhos e toda a comunidade!!!

 

Faça a sua parte!!!

 


Notícias Semelhantes
Estação/RS
Rua Fiorello Piazetta, 95 - CEP: 99930-000
Telefone: (54) 3337-1166 / 1164
E-mail: ouvidoria.pmestacao@gmail.com
Expediente:
7:30 às 11:30 e 13:15 às 17:15